Curimatã

Existem mais de 20 espécies de vários tamanhos médios em todas as regiões do Brasil, as maiores como a curimatã-pacu pode chegar a 60cm. a atingir mais de 8 quilos. Nem todas as espécies tem interesse econômico mas em geral é peixe bastante apreciado na culinária pelo sabor exuberante e na pesca esportiva pela dificuldade de captura. Alimenta de sedimentos orgânicos e vegetais. É peixe de desova total e realiza a piracema, que é a corrida dos peixes em direção às nascentes dos rios na época da reprodução.

Peixes de escamas. A coloração é prateada, o tamanho é médio e a principal característica é a boca protrátil, em forma de ventosa, com lábios carnosos, sobre os quais estão implantados numerosos dentes diminutos dispostos em fileira.

Espécies detritívoras, alimentam-se de matéria orgânica e microorganismos associados à lama do fundo de lagos e margens de rios. Realizam longas migrações para reprodução.

A pesca é praticada principalmente nos barrancos de beira do rio com equipamentos simples. As varas são de bambu, variando de 2 a 4m. A linha, geralmente uns 50cm maior que a vara, são de 0,30 a 0,4Omm. Os anzóis são pequenos e finos para facilitar a fisgada. A melhor isca é a massa de farinha de trigo iscada no anzol até a metade do colo. Deve ser consistente, nem muito dura, nem mole demais.

0 comentários: