Dicionário de pesca para o pescador amador e curioso

Hoje vamos citar aqui algumas nomenclaturas, ou seja, um pequeno dicionário de pesca. Muitas das palavras usadas são desconhecidas do público pescador que as vezes houve e não sabe o quer é.

Não basta saber pescar o importante é aprender aos poucos as nomenclaturas corretas para saber comprar os equipamentos para cada tipo de pesca. Cada variadade de peixe, características do rio e a maneira que se pretende pescar pode variar e muito os equipamentos que serão utilizados. 

Então vamos lá: 
Bater isca: arremessar as iscas nos pesqueiros;
Batida: investida do peixe à isca e/ou técnica usada para pesca de pacus com longas varas de bambu e iscas-coquinhos;
Carnivororo: peixe que se alimenta de carne, como sapos cobras ratos peixes e outros;
Cabeleira: quando solta a linha em torno do carretel da carretilha;
Casting: termo em inglês que significa arremesso. Também dá a capacidade de arremesso de uma vara em gramas ou onças;
Colher: iscas artificiais que possuem a forma de colheres sem o cabo (côncavas, convexas ou onduladas);
Estouro: quando o peixe bate a isca na flor da água;
Encaçapou: quando o pescador está com o peixe no passaguá (coador);
Equipamento ultra light: tralha muito leve;
Equipamento light: tralha leve;
Equipamento pesado: tralhas usadas para pegar grandes peixes de couro;
Fluorcarbono: matéria prima mais resistente à abrasão com menor elasticidade e maior transparência. É muito usada para confecção de leader;
Forquilha: situação em que o peixe está fisgado;
Galhada: lugar com muitos galhos;
Hook: anzol, em inglês;
Hook Keeper: acessório usado para prender o anzol na vara;
Jarda: medida de comprimento. Uma jarda eqüivale a 0,9144 metro;
Libras (lb): sistema de medida usado para designar a resistência das varas e linhas;
Levantar: quando o pescador insiste com isca de superfície até o peixe aparecer;
Malhar: cobrir o pesqueiro com inúmeros arremessos;
Mamando a isca: costuma-se dizer quando o peixe dá pequenos toques na isca sem morde-la;
Muvuco: local onde está o peixe (buraco no meio de galhadas);
Mosca: são todas as iscas artificiais fabricadas para o uso com equipamento de fly, atadas com materiais naturais ou sintéticos em torno do anzol simples, imitando insetos, larvas, vermes, pequenos peixes e animais; Minhoca: isca artificial que pretendem imitar minhocas e até répteis, fabricadas em silicone;
Onça (oz): sistema de medida usado para pesos das iscas ou designar a potência de arremesso;
Passaguá: coador;
Pesca de arremesso: típica de iscas artificiais. O pescador lança nos pontos promissores e recolhe dando movimento à isca;
Passar o pano: usar o passaguá;
Plug: isca artificial em formato de peixes, fabricada em materiais rígidos como madeira, acrílico, fibra e plásticos duros;
Rebojo: movimento do peixe na superfície;
Rio na caixa: quando as águas do  rio estão no leito;
Rodada: pescaria feita com o barco solto, sem estar apoitado;
Sonda: aparelho que ajuda a identificar estruturas debaixo d´água, o tipo de fundo e também mede a profundidade da água;
Spinner: iscas artificiais dotada de lâminas que giram quando tracionadas, algumas possuem trailer, plumagens ou materiais sintéticos;
Tomando linha: os pescadores costumam gritar com emoção quando o peixe arranca a linha do carretel em corridas violentas;
Tralha: todo material de pesca.

1 comentários:

CharlesNetto disse...

Obrigado por partilhar meu amigo através de seu post importante dicas para um pescador amador que aos poucos vai adquirindo mais conhecimento a respeito desta arte de pescar sabiamente, valeu!