Pampo

O pampo em um peixe de água salgada que pode ser encontrado em todo o litoral brasileiro sendo que se subdivide em cinco espécies. Frequentam locais próximos à formações rochosas e praias na região em que as ondas estouram.

Corpo ovalado, comprimido e moderadamente alto, início das nadadeiras anal e dorsal com os raios maiores que os demais. Prateado, dorso de cinza e esverdeado e ventre branco a dourado, nadadeira anal de laranja a amarelo. O pampo pode chegar até 65 cm e por volta de 5 quilos salvo algumas excessões.

Deve-se utilizar um equipamento composto por uma vara de 3 a 4,2 m de comprimento, um molinete ou carretilha com capacidade para armazenar 150 m de linha com 0,25 mm de diâmetro e anzóis com haste curta de tamanho 2/0 ou 3/0. A chumbada deve variar com a correnteza e distância do arremesso.

É costeiro, desde canais e lagoas salobras até estuários e baías, ausente de ilhas mais afastadas. Forma cardumes, mas não é incomum observá-lo em pequenos grupos ou mesmo aos pares, usualmente próximos ao fundo de areia, onde buscam crustáceos, moluscos e vermes.

O formato arredondado do corpo, faz com que este peixe tenha muita força, promovendo grandes corridas quando fisgado. Equipamento regulado e perícia durante a briga, são as vantagens dos bons pescadores.

Tanto para a pesca de praia quanto para a pesca embarcada, deve-se utilizar como isca, a que mais fácil for encontrada na região (camarões , peixinhos, etc.), já que é a que o peixe está acostumado a comer sendo portanto a mais eficiente.

1 comentários:

Luiz Antonio André disse...

Não sou muito de pescar. Mas adoro comer peixes. O pampo é muito delicioso e em nossa região é muito usado para fazer o que chamamos de Caldo de Peixe.
Abraços