Brasil mantém entendimentos com Peru na área de pesca

O Brasil e o Peru mantiveram entendimentos para transferência de tecnologia de pesca de pequenos pelágios (anchoita, sardinha, cavalinha, xixaro, boqueirão, entre outros) que poderá aumentar de forma significativa a produção brasileira de pescado. Em contrapartida, serão repassadas técnicas de criação em cativeiro de peixes da Amazônia, como o pirarucu e tambaqui.

A cooperação entre os dois países foi acertada pela Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca (SEAP) com representantes do Peru durante a XIX Conferência da Organização Latino-americana de Desenvolvimento Pesqueiro (OLDEPESCA), realizada nos dias 5 e 6 deste mês em Lima, no Peru. O acordo ratifica um memorando de entendimento assinado em 2003 para troca de informações na área de pesca e aqüicultura.

Com a transferência de tecnologia, a pesca da anchoita no Brasil poderá chegar a cerca de 100 mil toneladas/ano. No Peru, a produção anual somente dessa espécie chega a cerca de 8 milhões de toneladas, cerca de oito vezes mais que o total da produção brasileira de pesca que está em torno de um milhão de toneladas. A captura da anchoita é feita com rede de arrasto a meia água, mais ou menos na metade da distância entre a superfície e o fundo do mar. A rede fica submersa, mas com capacidade de flutuar nessa profundidade.

1 comentários:

Edital disse...

Adicionado. Valeu pela parceria.
Abraço e sucesso!