Os maiores peixes de água doce

(Foto: © WWF/Suthep Kritsanavarin).

Os peixes de água doce gigantes estão em extinção no mundo todo, inclusive no Brasil. Uma das maiores espécie encontrada nos rios brasileiros é a piraíba que atinge até 2,8m e tem ampla distribuição na bacia amazônica. Por sua característica migratória, os bagres sofrem especialmente o impacto de grandes obras de infra-estrutura, especialmente represas e reservatórios que impedem a mobilidade da espécie.

Alguns estudiosos homologam o Pirarucu como sendo o rei dos rios como tendo o recorde de “Maior Peixe de Água Doce" do Brasil e do mundo, podendo chegar a três metros de comprimento e chega a pesar até 250 quilos.

O Pirarucu, nome cientifico Arapaima gigas, é um peixe geralmente encontrado na bacia Amazônica, em águas mais calmas. Preferem para habitat lagos e rios de águas claras em com temperaturas entre 24° e 37°.

É conhecido também como bacalhau da Amazônia, mas seu nome tem origem em dois termos indígenas: pira, que significa peixe, e urucum, que significa vermelho, devido à cor de sua cauda.

Não se sabe ainda qual o maior peixe de água doce. A arapaina do Amazonas é um forte candidato. Há notícias de exemplares da arapaina que cresceram até aos 4,5 metros, mas este comprimento é provavelmente exagerado e 3 metros é o mais correto. Pode parecer relativamente pequeno, mas a taxa de crescimento das arapaimas é espantosa. Um exemplar em cativeiro cresceu de 15 centímetros para cerca de 2 metros em 6 anos.

Os garpikes são peixes primitivos com escamas esmaltadas, em forma de diamante. Existem na região Sul dos Estados Unidos e nas Índias Ocidentais. O maior espécime conhecido de garpike, o peixe-aligátor, tinha 3 metros de comprimento e pesava cerca de 135 quilos. Existem peixes-gatos gigantescos na América do Sul e na Tailândia, que se sabe crescerem até aos 2,5 metros de comprimento.

Pescadores da cidade tailandesa de Chiang Khong capturaram o que é, provavelmente, um dos maiores peixes de água doce já vistos. Com 292kg e conhecido como bagre gigante do rio Mekong, o animal é estudado pelo WWF em parceria com a National Geographic Society que atuam na região para evitar a extinção da espécie.

1 comentários:

Eurico de Andrade disse...

Vim aqui para deixar-lhe o meu abraço e verificar se vc anda pescando muito. Um dia viro pescador tb.